9

Sobre as Redes Sociais




Há alguns dias uma amiga conversou comigo, ainda muito chateada, sobre cobranças que uma conhecida (apenas dela, diga-se de passagem) fez com relação a ela e a rede social Facebook. Sim, cobranças tipo..."você não curte o que eu posto", "marco seu nome e você não diz nada" e assim vai, porque não foi uma única vez. 
Pensem em alguém que estava muito chateada...era ela!
Não suportei, porque não tenho que suportar nada que não me faça bem ou que magoe pessoas que amo e fui logo dizendo que esse tal de Facebook tem causado aversão a minha pessoa, aliás tudo em excesso às redes sociais.

Estou compartilhando este assunto porque também passei pela mesma situação, ou seja, as pessoas não se contentam em fazerem parte desses sistemas aos quais se subordinam, elas querem envolver a todos e quando isso não ocorre acham que tais pessoas fazem pouco caso ou que são "seres de outro mundo", pois não gostam das mesmas coisas que elas.

Fui questionada por uma colega de trabalho que achou o cúmulo eu não acessar o Facebook ou ainda "curtir" isso ou aquilo, este ou aquele... Não curto, não tenho curiosidade, vejo um excesso de felicidade inventada por elas mesmas, precisam de curtidas como se precisassem do aval de outras pessoas para serem felizes, ou seja, necessitam que o mundo esteja olhando o tempo todo para elas, para o que fazem ou deixam de fazer.

Quando questionada pela colega, não sabendo qual a intenção dela, se estava achando legal ou criticando fui logo à resposta...

"Amiga, enquanto o mundo fica atrás de um computador ou celular cuidando da vida dos outros, fazendo comentários que magoam o próximo, exacerbando a crueldade até mesmo com comentários, curtindo posts de pessoas de quem fala mal etc, eu faço uso do meu tempo para coisas mais agradáveis como cuidar do meu lar e das pessoas que amo, faço um arranjo de flores para enfeitar minha casinha, organizo minhas gavetas e armários para ocupar minha cabeça e destralhar, faço uma comida gostosa para meus amores, pesquiso na internet sobre assuntos que me enriqueçam como ser humano e me tornem uma pessoa melhor, faço tricô e crochê entre tantas outras artes, leio livros maravilhosos que me permitem viajar pelo mundo, marco de tomar um café com pessoas que amo, faço minhas orações a Deus em agradecimento por tudo que sou e tenho entre tantas outras coisas...

Viu??? Não tenho tempo para ficar observando quem é feliz ou deixa de ser, até porque estou muito envolvida em fazer minha família feliz e ser feliz.


Permita-me amiga te dizer que minha mãe com a idade que tinha, com a ignorância do pouco letramento, mas de grande sabedoria passou-me valores que não encontro num lugar como esse, mas se ainda te sobra tempo...use-o como achar mais conveniente."

Dá licença, não nasci para ser igual a todo mundo, afinal dentro de mim tem um cérebro que pensa. Aff!!!

Então é isso! Cada um faz do seu tempo o que achar mais adequado.
Nada contra quem faz uso do Facebook, já o fiz, mas é um lugar onde não quero estar. Não foi feito pra mim. É difícil entender? Por que cada um não cuida apenas do que lhe pertence? Por exemplo: a vida.

Penso que por hoje já falei demais, até porque já não passava por aqui há algum tempo, mas eu precisava deste desabafo e este meu cantinho também foi feito para compartilhar meus anseios, minhas inspirações e desabafos. Se ainda tem um lugarzinho que amo é este aqui, visto que, ao longo de todos os anos que o mantenho tenho aprendido muito com meus amigos blogueiros, principalmente o respeito com relação ao próximo. Por esse motivo, entre tantos outros, sou blogueira de coração.


Tenham todos uma ótima semana.
Beijos

Maria de Fátima

17

A "Curva da Felicidade"





                                                                         Imagem: Pinterest

Sou muito curiosa, procuro pesquisar e ler sobre tudo o que me interessa e através de uma rede social descobri que existe uma tal de "curva da felicidade"...sim somos mais felizes ou mais tristes em determinada época das nossas vidas. Corriiii para saber mais sobre o assunto.
Cientistas descobriram que existe mais felicidade no início e no final da vida e que durante a meia-idade somos mais tristes e isso não é só no Brasil não, pois esse estudo foi realizado em mais de 72 países de todos os continentes.
Me peguei aqui fazendo um feedback dos meus últimos dez anos, já que me encontro na casa dos 51 rsrs... Isso é natural depois de ler sobre o assunto, provavelmente você fará o mesmo.
No Brasil a escritora e antropóloga Mirian Goldenberg tem falado sobre o assunto em programas de televisão e suas palestras deixam claro os motivos que levam as pessoas de meia-idade não se sentirem tão felizes. Confesso que atravesso a vida sem crises, não tenho medo do novo e tão pouco tenho medo da velhice, sinto-me bem na idade em que me encontro e a maturidade me permite fazer melhores escolhas.
Assistam ao vídeo no Youtube com Mirian Goldenberg. É muito interessante.
15

8 de Março - Dia Internacional das Mulheres


O meu mais especial Feliz Dia Internacional das Mulheres a todas as guerreiras que se vestem de coragem todos os dias e vão à luta em defesa de seus sonhos e direitos.

E viva o empoderamento!
Beijos!!!💜


                                                                                                                                                                                         Image
13

Me recuperando com boa leitura



Agora o ano começa de verdade... Feliz Ano Novo! Festas seguidas de festas e quando a gente se dá conta estamos quase no final de fevereiro, hora de retomar a vida neste país tão festeiro. Hora também de se antenar nos temas atuais, principalmente na política, antes que o coelhinho da Páscoa nos tire o foco.
Aqui estou me recuperando de uma artroscopia do joelho esquerdo, caminhando bem e sem dor (o mais importante). A cirurgia é simples, mas requer cuidados pós-operatório, nada de abusos e muita fisioterapia. Não retirei os pontos ainda, são apenas dois e isso me alivia bastante, pois não suporto a ideia de tirá-los...aff!!!
Por muitos dias estarei afastada dos meus compromissos profissionais até que a fisioterapia fortaleça meu joelho e me possibilite andar sem temer. Aqui na minha casinha a cabeça borbulha de ideias e coisinhas que tenho vontade de fazer...tricô, crochê, organização, comidinhas gostosas, leituras e outras coisinhas mais. Por estes dias vou colocando a leitura em dia acompanhada de um bom café gourmet e outras delicinhas e passando para visitar o cantinho de vocês.

Beijinhos