12

Falei... Tá Falado!




Olá! Saudades de estar aqui proseando com vocês. Há um mês não dou o ar da graça, mas sempre que posso visito o cantinho das amigas para deixar um abraço. 
Sei que mudanças fazem parte da vida, mas algumas custam a ser digeridas por não serem agradáveis.
Não é novidade pra vocês que sou professora da rede estadual de São Paulo e que acumulo dois cargos: professora de ensino básico I e II. Também não é novidade para o mundo inteiro que somos massacrados pelo sistema que vê como único culpado o professor por todos os problemas da educação. Então, se o aluno não aprende... culpa do professor, se a sala é indomável... culpa do professor, entre tantas outras culpas que somos obrigados a remoer e carregar conosco por longos anos. Material para uma aula diferente... a escola não tem... Como assim? Não tem xerox? Nananinanão! E as verbas? Como posso preparar uma atividade paralela a minha proposta de ensino se não tenho nem xerox? E aquele aluno que faz o que quer, fala o que quer e  não tenho o direito de lhe dar uma boa resposta porque posso constrangê-lo... Oh Lord! Onde vamos parar? Ainda sou do tempo que educação para a vida se recebia em casa e na escola íamos em busca apenas de cultura. Outros tempos!
Temos direito apenas um atestado médico por mês, caso seja necessário um outro é considerado licença saúde. E a carga horária? Massacrante!
Já tiveram oportunidade de conversar com um professor? A cada 10 professores 07 usam antidepressivos e ansiolíticos.
Com licença! Preciso deste descarrego. Também tenho o direito de "chutar o balde". Não somos nós que estamos doentes, é o sistema. Somos obrigados a carregar as mazelas desse sistema doentio e acabamos por adoecer com o mesmo.
É por conta de anos a fio fazendo parte desse sistema que também adoeci com o mesmo e desenvolvi a síndrome do pânico. Sim! Tive várias vezes a sensação da morte com picos de pressão altíssima, sensação de perda de pessoas que amo entre outros sintomas horríveis. E os meus crochês, bordados e costurinhas que tanto gostava de fazer? Também me foi saqueado por esse mal. Acreditem, estou tentando colocar minha vida novamente na linha, poucas coisas me dão prazer. Sobrou-me a família que é minha paixão e com a qual posso contar e amigos do coração, graças a Deus. 
Estou na luta e não arredo pé do meu bem estar, começando terapia e lendo muito sobre o assunto.
Desculpem-me, mas eu precisava falar sobre esse assunto que tanto me sufoca. Sempre encontrei aqui amigas de excelência, então não tive receio. Falei e pronto... Tá falado!

Para saber um pouco mais... 
http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/06/especialistas-explicam-sintomas-e-tratamento-da-sindrome-do-panico.html






12 comentários:

Thais disse...

Oi Fátima...
Imagino seu dilema!!! más creio, que ainda que nosso reconhecimento não venha dos homens, de Deus, nunca deixa de vir!!!
Que o Senhor te capacite, e te dê graça, para continuar desempenhando seu trabalho em nosso país que é tão pobre em respeito!!!
Beijos
Thais

Iris Barbas disse...

Oi Fátima!

Li e me deixou bastante triste... Mas este relato não é nenhuma surpresa, é o desabafo de quase todos os professores. Nesta hora, não se tem muitas palavras de consolo, pois não se vê luz no fundo do túnel, né?
Espero que você melhore... Nesta hora, a família é tudo!
Força, amiga!

Abraços, Iris

AnaCristina disse...

e vamos lutar!

Saron... disse...

Oi Fatima,
Concordo plenamente contigo.Pais negligentes e esse sistema de merda são culpados.E quem ficam sobrecarregados são os professores que além de ensina o Abc tem que ensina sobre a vida.Educação se dá em casa e muitos pais fogem dessa responsabilidade.Pena nosso país não dá maior importância aos professores.E o futuro do Brasil com esta nova geração...Afff.
Desejo do fundo do coração melhoras pra vc.E que vc volte com suas arterices.Bjinhos...

Nadja disse...

Maria de Fátima,

Somente agora vi que você é de Campinas/SP!
Moramos na mesma cidade...
Olha, se tem um remédio bom para curar os males físicos e emocionais, guarde esse nome: PAZ INTERIOR.
Observe e faça uma lista do que retirou sua paz nestes últimos tempos...
Não não será preciso, pois você já disse no post.
Concordo e assino embaixo!
Tenho pena dos professores atuais, pobres diabos que carregam nas costas toda a irresponsabilidade dos pais de alunos, dos alunos e também do governo.
Eu mesma deixei de participar das reuniões escolares do meu filho, anos atrás, porque não suportava ouvir as babaquices da mães dos alunos.
Tudo era questionado por elas...
Se a professora dissera que o filho deu um murro no vidro da janela diante de todos, a mãe ainda perguntava: Você tem certeza que foi o meu filho?
A outra questionada pela professora porque a filha faltava demais nas aulas, respondeu: Porque eu não consigo acordá-la...
Ou seja, a mãe dormia também no berço esplêndido da preguiça.
Enfim, vale a pena tudo isso?
Precisa realmente encarar essa parada?
Senão mande tudo para o inferno e vá curtir a vida,a família, a casa, seus bichos de estimação, suas receitas, etc.
Porque no momento que você "ganhar" uma doença das "brabas", sinto muito, poucos vão lhe estender a mão.
Desejo-lhe Paz e Luz!
Lindo dia!

Bjksss

Pepa disse...

Ai Fátima, que tristeza esse teu relato...
E imagino como deve ser difícil essa tua batalha, porque apesar de tudo, vc ainda quer ensinar... acho que é um dom, só pode ser...

E pior que é como vc disse, os pais acham que é obrigação da escola educar, não ensinam valores, respeito... tenho 40 anos, e sou de uma época que professor tinha total autoridade... e nós os respeitávamos !!!

Espero que vc consiga se estabilizar e conte mesmo conosco para desabafar...

Bjus 1000 e aproveita o feriado viu ??

mel e jasmim disse...

Minha querida, realmente a vida de professor nos dias de hoje é um fardo bem pesado.Imagino a decepção, a frustação e o sentir as mãos atadas. Fátima, não imaginava que estava a sentir-se tão mal!Peço a Deus que a ilumine e ajude a passar as dificuldades do dia a dia. Força querida , quero vê-la a fazer o seu lindo crochet. Crochet relaxa. A Fátima tem mãos de fada.Um enorme abraço carregado de carinho.
mel e jasmim

Naty Young disse...

Oiiiee, Fátima.
Tudo bem?

Em primeiro lugar, lhe desejo FORÇA pra vencer de vez essa doença danada...
E, depois, vim agradecer a visita ao meu bloguito e dizer que conheço bem esse drama de professor, mas não por mim, pela minha mãe que foi professora estadual de artes aqui em SC.

Saúde e dias iluminados pra ti.
Beijos,
Naty Young

Karla Kadri disse...

Sei bem o quem tem sentido...nossa profissão tem se mostrado muito diferente daquilo que um dia idealizamos ao escolhe-la. É muito triste ver o descaso com que somos tratados e todos os âmbitos. Não há salário digno, condições de trabalho e como se não bastasse, os pais acreditam que somos os responsáveis únicos pela educação de seus filhos. No entanto, torço para que o sonho não morra em nós, o sonho de ajudar a construir um país melhor, uma sociedade mais digna.
Que Deus seja a nossa alegria, força e esperança e nos conduza pelo caminho que temos pela frente!
Um grande abraço!

Fabiola Villaça disse...

Oi, Fátima, quanto tempo!
Li seu comentário no blog da Elza, me identifiquei tanto com tudo que ela disse e vc tb.
Queria de coração agradecer a vcs, pois tenho passado um sufoco, está muito duro aguentar o trabalho de prof. no Estado do Rio. Não lidamos com alunos, lidamos com incivilizados. Passei muito mal outra noite por causa de desrespeito de aluno e a direção não toma atitude. Estou tentando mudar de escola, mas na verdade minha vontade é parar de lecionar à noite. Simplesmente estou faltando, não quero nem ouvir falar nas turmas de lá, entende? Desculpe o desabafo. Desejo que vc fique cada dia mais em paz, acho que sua cidade ajuda, pq aqui no Rio, minha amiga, só Deus.
Um abraço e beijo,
Fabiola (Biula)

Mª Fátima disse...

Oi Fabíola! Não consegui entrar em contato com você. Aparece uma página bloqueada que não consigo acessar. Que pena! Gostaria de conversar com você. Bjs

Fabiola Villaça disse...

Oi, Fátima, boa noite.
Eu não tenho mais blog, deletei completamente há algum tempo. Tenho Facebook ainda, lá sou Fabiola Rocha.
Meu email mais utilizado é biularivera@yahoo.com.br
Obrigada pelo seu carinho, bj
Fabiola